O Sapê localiza-se entre os bairros de Santa Bárbara, Ititioca, Caramujo, Maria Paula, Matapaca, Badu e uma pequena parte do Largo da Batalha.

O nome Sapê, de acordo com depoimentos de antigos moradores, vem do fato de ter havido no passado sapezais naquele local. O bairro começou a surgir a partir de área que conhecida como Fazendinha, mas desenvolveu-se em outra direção e a Fazendinha atualmente é uma das localidades que compõem o Sapê.

Devido ao crescimento das periferias, fato comum nas grandes cidades, o local passou também a atrair contingente populacional principalmente a partir da década de 70 (10,42%). A população está distribuída ao longo da estrada Washington Luiz (antiga estrada do Sapê), principal via de acesso, que se inicia no Largo da Batalha e atravessa todo o bairro fazendo a ligação com o Caramujo e Santa Bárbara.

Quanto à estratificação social, observa-se nas proximidades da estrada Washington Luiz, predominância de edificações de padrão construtivo médio, que associada aos condomínios Ubá V, Sítio das Orquídeas e o imenso Orquídeas II (ainda em construção), acabam mascarando a realidade do bairro. A maior parcela da população concentra-se em bolsões de favelização nas localidades de Mato Grosso, Fazendinha, Buraco, Pedro, Cambaxirra, Armazém Novo, Rodo e Falinha.

O grande crescimento demográfico do bairro ocorreu no período de 70-80, quando foi o terceiro de maior taxa anual de crescimento – 10,42% – no município, fato comum a outros bairros da região. Este fato também coincidiu com a pavimentação de sua principal via de acesso, a estrada Washington Luiz. Em contraposição, no período seguinte, 80-91, o bairro apresentou resultado negativo, -0,46%. Mas é necessário considerar também a reorganização dos setores censitários, com vista ao decreto número 4.895 de 1986, que criou novos bairros, entre eles o Sapê.
CARACTERÍSTICAS ATUAIS E TENDÊNCIAS:

O comércio do Sapê é limitado em número de estabelecimentos e na diversificação de ramos comerciais, contando apenas com padarias, “biroscas”, bares e lojas de material de construção. A população do Sapê, como a de muitos outros bairros próximos, recorre ao farto comércio do Largo da Batalha para suprir as suas necessidades.

O Sapê conta com a Escola Municipal Levi Carneiro, única do bairro, que atende da classe de alfabetização à 8ª série do 1º grau e atrai ainda, estudantes de bairros vizinhos. Após a conclusão do 1º grau, os estudantes são levados a procurar as escolas do Centro da cidade ou de outros bairros para prosseguirem os seus estudos. Conta ainda, com duas creches: uma funcionando na sede da Associação de Moradores e a Creche Berçário Mariozinho Gomes. No tocante à saúde, há o Hospital Maria de Magdala, que é exclusivo ao tratamento de doentes da AIDS.

É notada a insuficiência de telefones públicos. A infra estrutura urbana não acompanhou o crescimento do bairro, verificado principalmente nas localidades de mais baixa renda.

O transporte coletivo no bairro é considerado deficiente pelos moradores, principalmente em relação aos horários e número de veículos em circulação, sobretudo no horário noturno.

Registra-se a ampla disponibilidade de terras, o que já está propiciando o surgimento de condomínios fechados e de loteamentos para segmentos de classe média. O relevo suavemente ondulado com áreas verdes remanescentes, algumas minas d’água etc., são elementos atrativos que sustentarão a expansão.

Leave a Reply