Itacoatiara significa etmologicamente “pedra riscada”. A sua privilegiada geomorfologia costeira, isto é, a praia, a enseada e os costões rochosos, além de sua vegetação de restinga junto à praia, tornam o local um dos principais pontos turísticos do município. Tem como limites os maciços costeiros da Serra da Tiririca, que faz divisa com o município de Maricá e, por outro lado, o Morro das Andorinhas, que o separa do bairro de itaipu. O acesso à parte central do bairro se faz por uma única via, a entrada de Itacoatiara, que recebe o nome de Mathias Sandri a partir do posto policial. Neste ponto, até alguns anos atrás, havia um “mata-burro” para impedir a entrada de animais. Mathias Sandri e Francisco Felício foram os proprietários da região e os responsáveis pelo loteamento que deu origem ao bairro. As caracteristicas naturais de Itacoatiara, atrairam os novos proprietários e as primeiras construções foram “casas de praia”.

Hoje é bairro estritamente residencial, apresentando 995 habitantes e 306 domicílios (Censo Demográfico do IBGE/91) de padrão construtivo predominantemente alto (PMN/Sumac), distribuídos por suas alamedas batizadas com nomes de flores. O predomínio é de residências unifamiliares, algumas com a função de veraneio.

Os moradores de Itacoatiara sempre lutaram pela preservação do lugar – da vegetação, da praia, da tranquilidade – e durante anos impediram que as ruas fossem asfaltadas ou que estabelecimentos comerciais se instalassem no bairro. Destas lutas origina-se a SOAMI (Sociedade dos Amigos e Moradores de Itacoatiara) com área de abrangência a partir do posto policial.

Ainda nos limites do bairro, encontramos o caminho que se dirige a Itaipuaçu, no vizinho município de Maricá. Estabelecido a partir de antigas trilhas, neste caminho, em sua confluência com a Estrada da Itaipu (Estrada Francisco da Cruz Nunes) encontra-se uma pequena capela erigida em louvor a Nossa Senhora da Conceição.

CARACTERÍSTICAS ATUAIS E TENDÊNCIAS:
A ocupação do bairro é quase total, restando poucos terrenos com alto valor de mercado. A expansão pode ser percebida no Morro das Andorinhas. O bairro conta com poucos estabelecimentos comerciais – padaria, loja “sport wear”, bar noturno e os quiosques da avenida beira mar, além da sede social da AFEA (Associação Fluminense de Engenheiros e Arquitetos) e do Pampo Clube, situado na beira da praia. Para suprir suas necessidades básicas, os moradores recorrem ao comércio dos bairros vizinhos de Itaipu e Piratininga; e buscam Icaraí e Centro quando necessitam de comércio e serviços diversificados.

Em relação ao transporte, apenas uma linha de ônibus faz a ligação de Itacoatiara com o Centro do município. A maior parte dos moradores possui automóvel particular, sendo este o principal meio de transporte utilizado.

Cercada pelos costões e dividida em duas partes por uma imensa pedra, a Praia de Itacoatiara, conhecida por suas águas traiçoeiras, era frequentada por banhistas apenas na parte que ficou conhecida como “prainha”, ou “praia dos bebês” e por pescadores, que se arriscavam nas suas pedras, com caniços e molinetes.

Atualmente a praia é frequentada em toda a sua extensão, com uma série de eventos sendo realizados na praia durante o ano, destacando-se as competições de Surf, – algumas do calendário nacional. Um outro esporte praticado no local, é o peculiar “surf de montanha”.

Durante a temporada de verão e nos finais de semana, Itacoatiara, como os demais bairros da Região Oceânica, recebe um fluxo muito grande de turistas, triplicando a sua população e gerando transtornos para os residentes.

Os principais problemas ambientais do bairro são os constantes desmatamentos de áreas de Mata Atlântica para a construção de residências e a descaracterização da vegetação de restinga.

Leave a Reply